:: Copel – Atualização informações ::

Prezados,

 

Informamos que a FIEP entrou em contato com a Copel em abril solicitando três itens:

 

I)             Que neste período de 90 dias, não haja a cobrança da parte da demanda na conta de energia elétrica, cabendo o pagamento apenas da parte do consumo, pois indústrias, mesmo que paradas, teriam alto custo para pagar com a cobrança da demanda.

II)           Que a Copel estruture uma linha de financiamento especial, para cobrir eventuais inadimplências nas contas de energia elétrica, considerando juros baixos, ajudando assim as indústrias a honrarem com seus compromissos.

III)          Que não haja corte de energia para contas de pessoa jurídica, em caso de inadimplência, no período de 90 dias (assim como o critério adotado em contas residenciais, por determinação da ANEEL).

 

No início de maio recebemos algumas respostas e agora na última sexta-feira, dia 29/05, tivemos uma nova reunião com a COPEL, e recebemos as demais respostas, basicamente, da seguinte forma:

 

I – A cobrança, neste momento de pandemia, apenas do consumo de energia elétrica e não da demanda contratada?

A Copel respondeu esse item dizendo que precisaria de um apoio da ANEEL e uma ação nacional (primeiro pleito demanda e consumo, a Copel através da Associação Brasileira de distribuidoras de energia elétrica solicitou à Agência Nacional de Energia Elétrica que tomasse uma atitude nesse sentido, mas de forma padronizada e em termos nacionais, para evitar que a distribuidora do estado tenha que arcar com grande prejuízo da isenção destas tarifas de demanda. Estamos, portanto. Recentemente o governo federal publicou o decreto 10.350 e a ANEEL esta regulamentando o mesmo com a criação da denominada “Conta Covid” que estabelece condições de negociação entre as distribuidoras de energia e os seus clientes em relação ao postergamento do pagamento das contas de demanda contratada e inclusive de inadimplência

 

II – A renegociação da dívida em juros menores no caso de inadimplência.

A Copel acatou e o juros que era de IGPM mais 1%, passou a ser agora juros de IGPM mais 0,5% (meio por cento) (Copel informou que reduziu o seus juros mensais para negociação de dívidas em 0,5 ponto percentual passando dos 1.79 % ao mês anteriores para 1.29% ao mês atualmente para negociação).

 

III – O não desligamento da energia elétrica em caso de inadimplência nas unidades empresariais onde não houve pagamento nesse período.

A Copel informou que está seguindo as determinações da ANEEL quanto ao não desligamento das unidades residenciais, mas também nos informou, via telefone, que neste momento de pandemia irão adotar todas as formas possíveis de negociação com todas as empresas para que não haja nenhum tipo de desligamento na questão empresarial. Assim, a Fiep recomenda que qualquer empresa que tenha algum problema relacionado a essa questão de energia elétrica, que entre em contato com a Copel no atendimento e pleiteie esta negociação .

 

Mas temos mais algumas boas novidades para as indústrias do Paraná, segue:

 

– A COPEL está aberta para negociação de contas em atraso ou até contas a vencer

A COPEL nos passou que está fazendo algumas negociações muito interessantes para as indústrias, de contas em atraso ou até mesmo as contas que não estejam vencidas; caso a empresa percebe que não vai ter fluxo de caixa para fazer o pagamento, ela já pode entrar em contato com a Copel e solicitar uma negociação da sua conta a vencer ou de suas contas vencidas;

 

– Como funciona essa negociação?

Basicamente essa negociação tem a taxa de juros do IGPM + 0,5% ao mês, com no mínimo uma entrada de 10% do valor a ser negociado

 

– Tem carência essa negociação?

Teremos uma carência que varia conforme o tamanho da conta a ser negociada e do histórico da empresa junto a Copel, mas essa carência poderia ser de 2, 3, 4 meses, até o fechamento desse ano, que seria até janeiro do ano que vem (janeiro de 2021);

 

– E em quantas parcelas podem dividir essa negociação?

O número de parcelas para pagamento do acordo, depende do tamanho da conta negociada, pode ser enquadrado desde 5 parcelas, até 60 parcelas, isso equivale até 5 anos para pagamento, o que seria uma condição bastante tranquila em termos de dar um fluxo de caixa para as indústrias do Paraná.

 

– Como é que se faz essa negociação?

Essa negociação se faz a partir de uma proposta da Indústria para a Copel através do e-mail cobranca.grupoa@copel.com. A indústria deve mandar para este e-mail cobranca.grupoa@copel.com a sua proposta de negociação com todos os dados da sua conta, os seus dados e todos os valores (números),  oferecendo uma entrada de 10% e solicitando uma determinada carência e um determinado número de meses para pagar essa conta  atrasada ou a vencer; pode juntar 1, 2 até 3 meses desse período de pandemia, que a Copel irá analisar essa proposta e irá retornar com o aceite, uma contraproposta, ou o não aceite.

 

A COPEL está aberta para negociação para apoiar as Indústrias do Paraná.

 

João Arthur Mohr

Gerência de Assuntos Estratégicos

   
       
Posted in Notícias.