PLANO DE NEGÓCIOS

A IMPORTÂNCIA DE UM PLANO DE NEGÓCIOS

PARA AS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS GRÁFICAS

Thomaz Caspary*

Muitos gráficos já me perguntaram, o que vem a ser realmente um PLANO DE NEGÓCIOS? – Muita gente fala sobre isso, mas nem todo mundo sabe direito o que é. Quero mostrar de que não é um “bicho de sete cabeças” e que é de suma importância nos dias de hoje, onde se perde muito tempo correndo atrás dos clientes errados.

Na verdade, este PLANO um documento no qual o gráfico descreve sua ideia de negócio de forma a ver como todas as partes se relacionam. O plano de negócios ajuda a ter a visão do todo e aprender mais sobre o seu negócio.

Um plano de negócio é muito mais do que estabelecer objetivos. Durante a sua elaboração, permite ao empreendedor a compreender as várias vertentes do seu negócio (como mercado e riscos). Além disso, ainda pode ser um apoio na apresentação da empresa a outras partes interessadas, como parceiros e investidores, e ser um guia para o desenvolvimento da companhia a curto, médio e longo prazo.

Planejamento é tudo ou muita coisa. Se nem mesmo na vida particular podemos nos deixar levar apenas pela maré, quem dirá no mundo corporativo. Por isso é tão importante traçar o caminho que se deve seguir rumo ao sucesso, levando em conta tudo o que pode atingir sua empresa. Para isso, entra em cena o plano de negócio.

Um plano de negócio nada mais é do que um “grande roteiro” das variáveis financeiras, de marketing, de produto etc, que vai guiar e dimensionar a sua gráfica. Se o empresário gráfico tem pouca experiência na visão comercial como um todo, é mais do que recomendável que trace o plano de negócios para ter uma visão clara da empresa. Um plano de negócio mal estruturado, ou ainda, a falta dele, implica em grandes chances de a empresa não durar mais muito tempo.

Feito o plano, o que fazer para tornar real o que está traçado no papel? A única maneira é se propor a praticar o que foi estabelecido e colocar a mão na massa para alcançar os objetivos.

Me perguntaram também se eu poderia dar um exemplo prático que exemplifique melhor os principais conceitos do Plano de Negócios?

Um dos exemplos seria, onde encontrar o cliente certo que precisa dos impressos que eu possa fornecer a um custo compatível no prazo que ele precisa.

Ou então a minha equipe está com dificuldades para alcançar as metas. Como mudar isso? Identificar as necessidades dos clientes faz a diferença em vendas.

Se eu vender mais, a minha produção, vai acompanhar um volume maior de vendas? E os investimentos em publicidade? São proporcionais à força de vendas? E os serviços de pós-vendas? Uma decisão, muitos impactos em pontos diferentes do negócio. O plano de negócio simula o comportamento do negócio como um todo para cada uma destas decisões.

Caso você não saiba por onde começar, a Printconsult pode elaborar para você micro e pequeno empresário um Plano de Negócios individualizado, sem ir até você com altos custos. Através de um sistema já experimentado em diversas regiões do Brasil, ensinamos você empresário, como fazer isso. É claro que necessitamos informações de sua empresa que são tratadas com a habitual ética e máximo sigilo.

Podemos também ir até sua cidade e em um Workshop, reunir diversas empresas e mostrar como se faz, sem entrar em discussões de concorrência desleal.

Caso queiram se informar a respeito, entrem em contato conosco. Meu endereço de e-mail é tcaspary@uol.com.br  e estou em São Paulo na PRINTCONSULT LTDA.

Seja bem-vindo e avance com sua gráfica ao infinito.

*Thomaz Caspary é consultor de empresas gráficas, Coach e diretor da Printconsult Ltda. – tcaspary@uol.com.br. – Tel.: (11) 3167-6939 e (11) 99105-2776.

Comunicado ABIGRAF NACIONAL 016A/2018 – REFIS DAS MICROS E PEQUENAS EMPRESAS – LC 162/2018

ABIGRAF NACIONAL / COM – 016A/2018
REFIS DAS MICROS E PEQUENAS EMPRESAS –
– PUBLICADA LEI COMPLEMENTAR –

Informamos a publicação da Lei Complementar nº 162/2018 (DOU de 09.ABR.2018),(em anexo), que institui o Programa Especial de Regularização Tributária das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte optantes pelo Simples Nacional – PERT-SN.

Destacamos os seguintes pontos:

  • pagamento em espécie de, no mínimo, 5% do valor da dívida, sem descontos, em 05 parcelas mensais e sucessivas;
  • o débito remanescente poderá ser quitado de três formas:
  • (I) pagamento em parcela única, com redução de 90% dos juros, 70% das multas e 100% dos encargos legais, inclusive honorários advocatícios;
    (II) parcelamento em até 145 parcelas mensais e sucessivas, com redução de 80% dos juros, 50% das multas e 100% dos encargos legais, inclusive honorários advocatícios;
    (III) parcelamento em até 175 parcelas, com redução de 50% dos juros, 25% das multas e 100% dos encargos legais, inclusive honorários advocatícios;
  • nas três hipóteses acima o valor da parcela mensal não poderá ser menor que R$ 300,00, exceto no caso dos Microempreendedores Individuais (MEIs), cujo valor será definido pelo Comitê Gestor do Simples Nacional – CGSB;
  • os interessados poderão aderir ao PERT-SN em até 90 dias da entrada em vigor da LC (09.ABR.2018), ficando suspensos os efeitos das notificações dos Atos Declaratórios Executivos (ADE) que excluíram as empresas do SIMPLES NACIONAL, até o término do referido prazo;
  • poderão ser parcelados os débitos vencidos até a competência do mês de NOV.2017 e apurados na forma do Regime Simples Nacional, constituídos ou não, com exigibilidade suspensa ou não, parcelados ou não e inscritos ou não em dívida ativa, mesmo com execução fiscal já ajuizada;
  • podem ser incluídos os débitos inerentes às Leis Complementares nºs 123/2006 e 155/2016, que foram parcelados pela modalidade ordinária (60 parcelas mensais);
  • o pedido de parcelamento implicará desistência compulsória e definitiva de parcelamento anterior, sem restabelecimento dos parcelamentos rescindidos caso não seja efetuado o pagamento da primeira prestação do PERT-SN;
  • a correção das parcelas será pela taxa SELIC + 1% relativamente ao mês em que o pagamento estiver sendo efetuado;

A citada LC será regulamentada pelo CGSN.

Eventuais dúvidas poderão ser esclarecidas através do e-mail dejur@abigraf.org.br.

São Paulo, 09 de abril de 2018.

 

INFORMAÇÕES :: CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO

Prezados(as) Empresários(as)

Na condição de representantes de toda a Categoria Econômica das Indústrias Gráficas no Estado do Paraná, lamentamos informar que neste ano não conseguimos celebrar a Convenção Coletiva de Trabalho, como tradicionalmente fazemos, cuja data base é 1º de janeiro.

As negociações foram muito difíceis e o impasse desta vez não foi econômico.

Por decisão da assembleia dos empresários, ficou decidido que deveríamos rever duas cláusulas da CCT, que vinham sendo mantidas ao longo dos últimos anos. Esta decisão da assembleia se deveu à intenção de avançar a atualizar nosso instrumento coletivo, adaptando-o às novas previsões legais decorrentes da Reforma Trabalhista que entrou em vigor em novembro de 2017.

Postulamos junto aos sindicatos profissionais a revisão das seguintes cláusulas:

  • Excluir a Cláusula que determinava a obrigação das empresas homologarem as rescisões contratuais nos sindicatos, uma vez que esta obrigação, antes prevista em lei, agora já não existe mais;
  • Revisão ou exclusão da Cláusula que tratava das Jornadas Compensatórias, em razão da cláusula convencional ser muito restritiva, uma vez que a nova legislação permite jornadas compensatórias mensais e até mesmo Banco de Horas, com periodicidade semestral, mediante acordo individual.

Porém, se mantida a CCT com a cláusula de jornada compensatória restritiva, que impunha assembleia até mesmo para a compensação semanal, ela prevaleceria sobre a legislação, que neste momento é mais benéfica.

Após várias rodadas de negociação, que se iniciaram em dezembro.2017, inclusive com a mediação do Ministério do Trabalho, não conseguimos lograr êxito. Ao final, os sindicatos profissionais – STIG/PR e STIG LONDRINA – encerraram as tratativas dizendo que somente assinariam uma CCT se todas as cláusulas fossem mantidas, sem mudar uma vírgula.

Como nossa assembleia patronal também havia decidido que a nova CCT teria que alterar aquelas duas cláusulas já referidas, as negociações foram encerradas.

 E AGORA, COMO FICA?

Num primeiro momento o sindicato dos trabalhadores havia dito que ajuizaria o Dissídio Coletivo. Porém, ao final das tratativas disseram que irão procurar as empresas, individualmente, para tentar celebrar Acordos Coletivos, desde que as empresas aceitem inserir em Acordos Coletivos, todas as cláusulas da CCT, incluindo aquelas cláusulas que a nossa assembleia não aceitou manter.

 Importante esclarecer que é temerário a empresa se dispuser a fazer acordo individualmente com o Sindicato de Trabalhadores haja vista os motivos acima elencados.

Outrossim, caberá a cada empresa decidir o que pretende fazer e, se precisar, poderemos apoiar em tudo que for necessário.

Porém, temos algumas questões relevantes.

Como todos sabem, nossa CCT – que encerrou sua vigência em 31/12/2017 – previa um piso salarial de R$ 1.200,40. Este piso já era inferior ao Piso do Estado do Paraná, que a partir de 1º de março deste ano está com seu valor, para empregados das gráficas, em R$ 1.339,80.

Assim, não havendo Convenção Coletiva ou Acordo Coletivo de Trabalho que estabeleça um piso menor, as empresas ficam obrigadas a praticar o novo piso estadual.

Por outro lado, não havendo cláusula restritiva em Convenção ou Acordo Coletivo, as empresas não estão mais obrigadas a homologar as rescisões contratuais nos sindicatos profissionais, realizando a rescisão internamente.

Além disso, não havendo mais cláusulas restritiva, pela atual legislação vigente, as empresas podem adotar jornadas para compensação mensal, mediante acordos individuais, tácitos ou escritos, assim como estão autorizadas a celebrar Acordos Individuais, para implantação de Banco de Horas, desde que o período de apuração e compensação seja de até 6 (seis) meses.

Claro que outros benefícios previstos na CCT, na ausência dela, também podem ser suprimidos, quando não estejam garantidos em lei. Todavia, esta é uma decisão isolada de cada empresa, pois sabemos das dificuldades de se cortarem ou reduzirem direitos.

Quanto ao reajuste salarial, não há obrigação legal de repasse. Porém, é comum as empresas repassarem o INPC integral, especialmente neste caso, em que o índice acumulado em 2017 foi de 2,07%. Mas este aumento, como dito, é opcional.

Por fim, ainda que o assunto não tenha relação direta com a Convenção Coletiva, devido ao grande número de consultas que recebemos, a respeito da Contribuição Sindical dos Trabalhadores, até então obrigatória e a partir da reforma trabalhista, voluntária, repassamos nosso entendimento sobre o tema.

Neste momento há divergências de entendimentos legais, quanto ao tipo de autorização a ser dada: há quem defenda que esta autorização tem que ser individual e por escrito e há quem entenda que esta autorização pode ser dada pela Assembleia da Categoria Profissional, independentemente da vontade individual dos trabalhadores.

Por cautela, estamos sugerindo que cada empregado manifeste sua vontade individual, no sentido de autorizar ou não autorizar o desconto salarial relativo à contribuição sindical (salário de um dia do mês de março de cada ano).

Permanecemos à disposição para esclarecimentos ou complementos.

 

 

       

Inicia hoje 22/01- Adesão Vacina 2018

Prezadas Associadas,

 

O Sesi informa que inicia hoje dia 22/01, a adesão a Campanha da Vacina contra a Gripe 2018.

 

Seguem abaixo comunicados.

 

Informações Importantes:

  • Para fins de cobrança, no ano de 2.018 será considerado o número de doses solicitadas no momento da adesão, diferentemente do ano de 2.017, quando a cobrança ocorreu pelo número de doses solicitadas;
  • A vacina ofertada pelo Sesi protege somente do vírus H1N1;
  • A vacina é somente para funcionários das indústrias e funcionários dos Sindicatos patronais.

 

Informações contatar:: adesaovacina@sesipr.org.br

 

Expoprint 2018 – Cadastre-se e concorra a um iPhone!

Cadastre-se Gratuitamente:https://www.expoprint.com.br/pt/visitar/cadastro/iphone_gf?utm_term=Expoprint+2018+-+Cadastre-se+e+concorra+a+um+iPhone%2521&utm_campaign=GRANDES+FORMATOS&utm_source=e-goi&utm_medium=email&eg_sub=e7ddcd1b0c&eg_cam=cbc8187ffcb00aeafe917169449df5cb&eg_list=5