Fiep se manifesta contrária à greve geral desta sexta-feira (28/04)

A Federação das Indústrias do Paraná (Fiep) vem a público se manifestar contrária à greve geral convocada para esta sexta-feira (28). A Fiep repudia que, em um momento de profunda crise atravessado pelo país, o setor produtivo brasileiro seja afetado por uma paralisação de serviços que comprometerá as atividades das empresas, causando ainda mais prejuízos a toda a sociedade.

A Fiep entende que todo e qualquer cidadão ou categoria tem o legítimo direito de se posicionar em relação aos grandes temas em debate no Brasil atualmente. Essa manifestação, porém, não pode se sobrepor ao livre arbítrio e ao direito de ir e vir de pessoas que não têm intenção de aderir ao movimento grevista.

Por fim, a Fiep reitera seu total apoio às reformas em discussão no Congresso Nacional, por entender que representarão expressivas melhorias no ambiente de negócios do Brasil. As mudanças propostas no sistema previdenciário e a modernização de pontos da legislação trabalhista são importantes para a retomada da confiança de investidores e o incentivo ao empreendedorismo, que se reverterão na geração de empregos e renda no país.

EJA Pinhais, Quatro Barras e outras localidades

Notícia Muito Importante para quem não concluiu o Ensino Fundamental e Médio::

 

O Sesi de Quatro Barras e Pinhais está com as matrículas abertas

 

O Sesi possui EJA também em outras localidades, contate conosco

A Educação de Jovens e Adultos (EJA) tem por finalidade oportunizar aos alunos maiores de 18 anos, o termino de seus estudos em pouco tempo. O curso é realizado na modalidade à distância (EAD) com aulas presenciais uma vez na semana, e aulas online, através do ambiente virtual de aprendizagem(AVA).

 

INFORMAÇÕES SOBRE EJA EAD:

         Gratuito para trabalhadores da indústria

Comunidade – mensalidade a partir R$ 80,00

Encontro 1 x por semana no Sesi (4h/aula)

 

         ENSINO FUNDAMENTAL: DO 6º ANO AO 9ºANO / DURAÇÃO DE 2 ANOS

         ENSINO MÉDIO: 1º ANO, 2º ANO E 3º ANO / DURAÇÃO DE 1 ANO E MEIO

Matriculas abertas!

Ensino Médio

Pinhais –  Início 23/05/2017

Quatro Barras – Início 22/05/2017

 

Informações:

 

Aparecida Costa de Freitas

Vendas

Gerência Comercial

Sistema Fiep

Cel (41) 99998-7295

www.sistemafiep.org.br

 

IEL – Cursos Educação Executiva

Indústrias associadas aos Sindicatos Patronais 20% de desconto.

*Estes cursos poderão ser realizados em outra localidade, mediante consulta.

 

Empresas interessadas, que sejam associadas, favor entrar em contato com o seu Sindicato. O Sindicato enviará para mim a solicitação, para que providenciemos junto ao IEL, a liberação do desconto.  Contato:  aparecida.costa@sesipr.org.br

 

Abertas as inscrições para o 15º Prêmio Paranaense de Excelência Gráfica Oscar Schrappe Sobrinho

 

Estão abertas desde o último dia 3 as inscrições para o 15º Prêmio Paranaense de Excelência Gráfica Oscar Schrappe, considerado o Oscar do setor gráfico no Paraná. Participam gráficas paranaenses que inscreverem seus produtos impressos dentro do território paranaense a partir de maio/2016 até 28 de abril de 2017, último dia para as inscrições. A realização é do Sigep/Abigraf-PR (Sindicato das Indústrias Gráficas do Estado do Paraná e Associação Brasileira da Indústria Gráfica – Abigraf Regional Paraná). A entrega será feita em 23 de junho, no Santa Mônica Clube de Campo, em Colombo, região de Curitiba.

 

Uma das novidades para este ano é que o julgamento dos produtos concorrentes será nas dependências da ABTG (Associação Brasileira de Tecnologia Gráfica), em São Paulo, que já é responsável pela coordenação e auditoria. São esperados cerca de 500 produtos inscritos, por cerca de 50 empresas.

 

Criado em 2002 para fomentar a qualidade, a inovação e a criatividade na indústria gráfica paranaense, o Prêmio Paranaense de Excelência Gráfica Oscar Schrappe Sobrinho chega aos 15 anos consolidado como um dos principais do setor no Brasil. A evolução é destacada pelo idealizador, José Toaldo Filho, que era presidente do Sigep/Abigraf-PR na gestão 2001/2004. “Tive a ideia de criar o prêmio porque o setor precisava de parâmetros para avaliar e melhorar a qualidade e a criatividade de seus produtos. Começamos de forma tímida, mas sempre houve crescimento no número de concorrentes e de produtos inscritos. O produto gráfico paranaense melhorou muito nos últimos anos e boa parte dessa evolução se deve ao prêmio, que instiga as empresas a fazerem cada vez melhor.”

 

O presidente do Sigep, Abilio de Oliveira Santana, avalia que a premiação tem forte impacto na forma como as empresas vêem o mercado. “Temos notado que nos últimos anos empresas novas têm ganho troféus. É reflexo de amadurecimento do mercado, que está cada vez mais se abrindo ao novo, ao diferente, na busca por soluções que possam, de fato, agregar valor aos nossos clientes”.

 

O presidente da Abigraf-PR, Jair Leite, enaltece a contribuição que a premiação deu ao trazer parâmetros ao mercado. “Com tanta empresa de qualidade, acaba sendo um balizador do que está sendo produzido e os caminhos a serem seguidos. Isso influencia diretamente no dia a dia das gráficas”.

 

O reflexo é que o Oscar Schrappe Sobrinho acaba sendo um impulsionador de conquistas nacionais e internacionais para as gráficas do Estado. Na premiação nacional, o Prêmio Brasileiro de Excelência Gráfica Fernando Pini, por exemplo, o Paraná vem se destacando todos os anos como o segundo estado que mais arremata troféus, atrás apenas de São Paulo. As empresas do Paraná também vão bem no Concurso Latino-Americano de Produtos Gráficos Theobaldo De Nigris, um dos mais importantes no mundo e que recentemente foi entregue em Fort Lauderdale, nos Estados Unidos.

 

Grand Prix

 

Outra novidade na edição deste ano é que, nos Atributos Técnicos do Processo, serão incluídas duas categorias no Grand Prix: “Melhor Impressão Flexográfica” e “Melhor Impressão Serigráfica”, que se juntam às categorias “Melhor Impressão Digital”, a “Melhor Impressão Offset Plana”, “Melhor Acabamento Editorial”, “Melhor Acabamento Cartotécnico”. Participarão da avaliação de Atributos Técnicos do Processo somente os produtos das categorias que tiverem, no mínimo, três empresas finalistas dentro do processo.

 

Cronograma:

Início das Inscrições: 03 de abril

Término das Inscrições: 28 de abril

Trabalho da Coordenação do Prêmio: 23, 24 e 25 de maio

Julgamento dos Produtos Concorrentes: 26 de maio

Festa de Premiação: 23 de junho

NEGOCIAÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2017

Prezados,

 

Para manter nossos associados bem informados, retomamos o assunto relativo à negociação coletiva de trabalho,

com vistas à renovação da Convenção Coletiva.

 

  1. Em razão do impasse nas negociações, a Assembleia Geral foi reconvocada e houve reunião no dia 21 de

março de 2017.

 

Nessa oportunidade, por unanimidade dos presentes foi autorizada a oferta de aumento salarial com base

no INPC (6,58%), além de autorizar que a comissão patronal de negociação abrisse mão do pleito relativo

à implantação do Banco de Horas na CCT.

 

  1. A comissão de negociação se reuniu com os representantes do sindicatos laborais (Curitiba e Londrina) no

dia 28 de março de 2017.

 

Após calorosos debates  nossa comissão apresentou a proposta de excluir da pauta patronal a inclusão de

cláusula sobre banco de horas e ofereceu o reajuste nos salários, tabelas, vale refeição/alimentação e

seguro de vida, de acordo com o INPC = 6,58% (conforme a pauta inicial dos trabalhadores).

 

Porém, propôs que o referido reajuste fosse concedido em duas parcelas (uma retroativa a janeiro do

corrente ano e a outra para julho), diante das inegáveis dificuldades do segmento empresarial.

 

Os representantes dos sindicatos laborais recusaram a proposta, com veemência.

 

Diante do impasse, nossa comissão ofereceu o INPC = 6,58% numa só parcela, retroativa à data base (01

de janeiro).

 

De forma intransigente, os representantes dos sindicatos laborais recusaram mais uma vez a proposta

patronal, afirmando que somente admitem celebrar a CCT se o reajuste foi de 7% (= INPC + aumento real).

 

Assim, lamentamos informar que o impasse persiste, bem como a forma radical como os trabalhadores vem se

portando nesta negociação, totalmente avessos a qualquer negociação ou pleito formulado pelos representantes

das empresas.

 

Por tais razões, orientamos que as empresas não aceitem (e não estão obrigadas a aceitar) negociar as condições

de trabalho pela via do Acordo Coletivo de Trabalho, para maior coesão, segurança jurídica e solução da

Convenção Coletiva de Trabalho da nossa categoria.

 

A Comissão continua envidando esforços para conseguir concluir o processo de negociação.

Prezados,

 

Para manter nossos associados bem informados, retomamos o assunto relativo à negociação coletiva de trabalho,

com vistas à renovação da Convenção Coletiva.

 

  1. Em razão do impasse nas negociações, a Assembleia Geral foi reconvocada e houve reunião no dia 21 de

março de 2017.

 

Nessa oportunidade, por unanimidade dos presentes foi autorizada a oferta de aumento salarial com base

no INPC (6,58%), além de autorizar que a comissão patronal de negociação abrisse mão do pleito relativo

à implantação do Banco de Horas na CCT.

 

  1. A comissão de negociação se reuniu com os representantes do sindicatos laborais (Curitiba e Londrina) no

dia 28 de março de 2017.

 

Após calorosos debates  nossa comissão apresentou a proposta de excluir da pauta patronal a inclusão de

cláusula sobre banco de horas e ofereceu o reajuste nos salários, tabelas, vale refeição/alimentação e

seguro de vida, de acordo com o INPC = 6,58% (conforme a pauta inicial dos trabalhadores).

 

Porém, propôs que o referido reajuste fosse concedido em duas parcelas (uma retroativa a janeiro do

corrente ano e a outra para julho), diante das inegáveis dificuldades do segmento empresarial.

 

Os representantes dos sindicatos laborais recusaram a proposta, com veemência.

 

Diante do impasse, nossa comissão ofereceu o INPC = 6,58% numa só parcela, retroativa à data base (01

de janeiro).

 

De forma intransigente, os representantes dos sindicatos laborais recusaram mais uma vez a proposta

patronal, afirmando que somente admitem celebrar a CCT se o reajuste foi de 7% (= INPC + aumento real).

 

Assim, lamentamos informar que o impasse persiste, bem como a forma radical como os trabalhadores vem se

portando nesta negociação, totalmente avessos a qualquer negociação ou pleito formulado pelos representantes

das empresas.

 

Por tais razões, orientamos que as empresas não aceitem (e não estão obrigadas a aceitar) negociar as condições

de trabalho pela via do Acordo Coletivo de Trabalho, para maior coesão, segurança jurídica e solução da

Convenção Coletiva de Trabalho da nossa categoria.

 

A Comissão continua envidando esforços para conseguir concluir o processo de negociação.

 

Por isso recomendamos que aguardem nossas orientações.

 

Fiquem à vontade para dirimir dúvidas através do telefone 41 3253 7172 / e-mail sigep@sigep.org.br.

 

Abilio de Oliveira Santana

Presidente

Por isso recomendamos que aguardem nossas orientações.

 

Fiquem à vontade para dirimir dúvidas através do telefone 41 3253 7172 / e-mail sigep@sigep.org.br.

 

Abilio de Oliveira Santana

Presidente